quarta-feira, 2 de março de 2011


Não ame com amores danados e loucos
Porque os que amam assim são bem poucos
Os que amam assim são reféns
Dos laços da própria mente e do próprio coração

Não tente sofrer por amor
Porque você vai sofrer por amor...
E ao mesmo tempo em que isso é “bonito”
Não valerá a pena tanta dor

Jamais abdique de seu ser
 Por outro ser que possa não merecer
Porque aquele que seus sonhos desenharam
Jamais exigirá isso de você

E não bastará todo o cuidado
Não vai adiantar sua alma calar
O destino do homem é o mesmo
E a sua felicidade, sofrer para amar

Que fascínio esse, o do amor!
Não desista, porém. Não atraque covarde em qualquer cais
Talvez um dia se consiga
Ser feliz sem amar demais.

BH, 11/06/1983

2 comentários:

  1. Marisinha,

    é lindo seu poema.

    Me lembrou uns versos do Nuno Júdice (um poeta português contemporâneo) que são a melhor definição que conheço deste "amor feliz" que reencontro nas suas palavras. Espero que você goste:

    "[...] Mas ensinaste-me
    a sermos dois; e a ser contigo aquilo que sou,
    até sermos um apenas no amor que nos une,
    contra a solidão que nos divide. Mas é isto o amor:"

    Um beijo da prima!
    Mônica

    ResponderExcluir
  2. Oie..
    Bom dia!!!
    Quero lhe convidar para você participar do meu blog...
    http://pedacodeumalma.blogspot.com.br/

    Mudei de endereço, adoraria te encontrar por lá.
    Estarei sempre por aqui...
    Bjs e flores.
    Fica com Deus
    Cássia Sampaio

    ResponderExcluir